CRA-PA abre Processo Seletivo para 60 vagas com salários de até R$ 4 mil

O Conselho Regional de Administração do Pará (CRA-PA) está com inscrições abertas para o Processo Seletivo para os cargos de nível médio/técnico e superior na capital paraense. Organizado pelo Instituto Quadrix, o certame oferece 60 vagas (3 efetivas e 57 cadastro de reserva) para Técnico em Administração e Administrador e Tecnólogo em Recursos Humanos.

As remunerações vão de R$ 1.530 a R$ 4.019, além dos benefícios do vale-refeição (no valor de R$ 850) por mês, do auxílio-saúde (médico e hospitalar) com coparticipação de acordo com a utilização, plano de cargos e salários, além de vale-transporte.

O prazo de validade do PSS é de dois anos.

PROVAS

Os interessados devem se inscrever, exclusivamente, pela internet (http://www.quadrix.org.br/) até o dia 23 de setembro e pagar uma taxa de inscrição R$ 40 (médio) ou R$ 45 (superior).

As provas serão aplicadas no dia 27 de outubro, no turno da tarde, com duração de 4 horas. A avaliação consiste em prova objetiva (de 120 questões de conhecimentos básicos, complementares e específicos) e prova discursiva (redação dissertativa de até 30 linhas). Para os candidatos de nível superior, será feita também uma avaliação de títulos.

Fonte: Diário do Pará


Pará é o estado com maior número de trabalhadores por conta própria

O Pará é o Estado com maior número de pessoas que trabalham por conta própria no País, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O percentual de autônomos na nossa região é de 35,6%. Também temos um dos números mais altos de pessoas sem carteira assinada, com 47,3%.

Os números fazem parte da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua Trimestral (PNAD Contínua) do IBGE, divulgada ontem (15), relativos ao segundo trimestre de 2019.

O Instituto mostra que o percentual da população ocupada do país trabalhando por conta própria era de 25,9%. No Pará, esse valor era de 35,6%, o maior do Brasil, seguido do Amapá (35,1%) e Amazonas (34,3%) e os menores índices estavam no Distrito Federal (19,6%), Mato Grosso do Sul (20,9%) e São Paulo (21,7%).

O percentual de empregados com carteira de trabalho assinada no setor privado do país era de 74,3%. Os maiores percentuais estavam em Santa Catarina (87,6%), Rio Grande do Sul (83,3%) e Paraná (81,4%) e os menores, no Maranhão (50,3%), Piauí (52,0%) e Pará (52,7%).

BUSCA

Já a proporção de empregados sem carteira de trabalho assinada no setor privado foi de 25,7%. As unidades federativas com os maiores percentuais foram no Maranhão (49,7%), Piauí (48,0%) e Pará (47,3%), e as menores taxas estavam em Santa Catarina (12,4%), Rio Grande do Sul (16,7%) e Paraná (18,6%).

Um quarto dos desempregados do Brasil, ou 26,2%, o equivalente a 3,347 milhões de pessoas, estão em busca de emprego há pelo menos dois anos. O registro é o maior para um trimestre desde 2012.

Para efeito de comparação, em um ano, 196 mil novas pessoas estão em busca de trabalho há dois anos ou mais. Em 2015, esse total era de 1,4 milhões de pessoas. A maior parte, 45,6%, dos desocupados estavam de um mês a menos de um ano em busca de trabalho; 14,2%, de um ano a menos de dois anos e 14,0%, há menos de um mês.

Já a taxa de desocupação recuou no Brasil no segundo trimestre de 2019 para 12%, 0,7 pontos percentuais a menos que os primeiros três meses do ano. Com relação ao mesmo trimestre de 2018, a diminuição foi de 0,4 ponto percentual.

De acordo com o IBGE, a taxa de desocupação recuou em 10 estados. A retração foi mais forte na Bahia (17,3%), Amapá (16,9%) e Pernambuco (16%). A retração foi menor em Santa Catarina (6%), Rondônia (6,7%) e Rio Grande do Sul (8,2%).

O percentual de pessoas desocupadas, sub ocupadas por insuficiência de horas trabalhadas e na força de trabalho potencial em relação a força de trabalho ampliada (chamada taxa composta de subutilização da força de trabalho) foi de 24,8%, anunciou o IBGE.

Já os desalentados, aqueles que desistiram de procurar emprego no segundo trimestre, somaram 4,9 milhões de pessoas. O percentual de pessoas desalentadas na força de trabalho foi de 4,4%, recorde da série histórica.

Fonte: Diário do Pará com informações da Folhapress.

Banco do Brasil vai reorganizar agências e funções

Programa será implementado neste segundo semestre e não altera o guidance para 2019.

O Banco do Brasil anuncia um plano de reorganização institucional que envolve funções e agências. O impacto financeiro do programa será divulgado até o final de agosto. O banco afirma que o programa será implementado neste segundo semestre e não altera o guidance para 2019.

O conselho de administração aprovou "revisão e redimensionamento da estrutura organizacional" tanto nos níveis estratégico, de direção geral, quanto "tático", que são as superintendências, além das áreas de apoio regional e nas agências.

Para acelerar a transformação digital, será criada a Unidade Inteligência Analítica, voltada a Inteligência Analítica e Inteligência Artificial. Já para obter melhor experiência aos clientes e incrementar a eficiência operacional, serão criadas 42 novas Agências Empresas até outubro, e transformadas 333 agências em PAA (Postos de Atendimento Avançado), ao mesmo tempo em que 49 postos vão virar agências.

Os funcionários serão distribuídos conforme o PAQ (Programa Adequação de Quadros), o qual visa equacionar "as situações de vagas e de excessos nas unidades do Banco", sendo que será oferecido um plano de desligamento incentivado. As condições para tal não foram detalhadas no fato relevante, divulgado nesta segunda-feira, 29, tampouco a quantidade prevista de desligamentos.

"O Banco do Brasil reitera que estas e outras iniciativas se alinham ao propósito de ampliar a competitividade, por meio da transformação digital e do dinamismo do modelo de atendimento e relacionamento", conclui a nota.

Pará: Balanço mostra saldo positivo de empresas abertas em 2018

Segundo a Jucepa, 5.206 novas empresas formais foram constituídas enquanto 2.824 foram extintas.

Mais de 5.200 empresas formais foram abertas de janeiro e junho de 2018 em todo o Pará. No mesmo período, 2.824 foram extintas, o que gera, até o momento, um balanço positivo de 2.382 empresas. A capital paraense lidera o ranking de municípios com mais aberturas, com 1.087 empresas constituídas. O varejo farmacêutico é o setor que mais registrou aberturas.

Os dados são da Junta Comercial do Estado do Pará (Jucepa) e mostram que, apesar da crise econômica, que afetou toda a economia do país, proprietários de empresas do Pará têm conseguido superar as dificuldades, seja abrindo novas empresas, seja ampliando seus negócios.

Em 2017, o estado registrou 5.606 empresas constituídas e 2.509 extintas. Já em 2016, foram abertas 5.337 e encerradas 1.815. De acordo com a presidente da Jucepa, Cilene Sabino, o volume de abertura de empresas se mantém estável. "Ainda que o cenário em outros estados brasileiros não se mostre favorável, aqui no Pará temos estabilidade na economia", comemora. 

Entre os municípios que se destacam com maior número de constituições de empresas durante os seis primeiros meses do ano estão: Belém, com 1.087; Ananindeua, 388; Marabá, 357; Santarém, 342; e Parauapebas, com 268 novas empresas abertas. Os mesmo municípios também foram os que mais fecharam empresas até o momento: Belém, 715; Marabá, 173; Ananindeua, 154, Santarém, 154; e Parauapebas 153 empresas extintas.    

Entre as atividades com mais empresas constituídas, de janeiro a junho, estão: comércio varejista de produtos farmacêuticos, sem manipulação de fórmulas, com 228 novas empresas; comércio varejista de mercadorias em geral, com predominância de produtos alimentícios, como minimercados, mercearias e armazéns, com 198 empresas constituídas; e comércio varejista de artigos de vestuário e acessórios, com 158 registros formais na Junta. 

Já os segmentos que mais apresentaram extinções em todo o estado foram: comércio varejista de artigos do vestuário e acessórios, com 218 extinções; comércio varejista de mercadorias em geral, com predominância de produtos alimentícios, como minimercados, mercearias e armazéns, com 208 empresas extintas; e comércio varejista de materiais de construção em geral, com 109 empresas fechadas.

Reprodução: ORM News

Belém-PA: XV CONGRESSO DE GESTÃO DE PESSOAS DA ABRH-PA

A Associação Brasileira de Recursos Humanos-ABRH-PA,  vai promover o XV Congresso de Gestão de Pessoas da região Norte do país, o evento é considerado um dos mais importantes da  Região Norte e Nordeste e será realizado nos dias 23 e 24 de novembro de 2018, no Hotel Princesa Louçã, em Belém-PA. O Congresso já está na sua XV edição,  tendo como  Tema : ORGANIZAÇÕES DO FUTURO E O LADO HUMANO DA TECNOLOGIA. E, a cada ano, vem mostrando que é referência na área de Recursos Humanos, tornando-se forte meio de atualização profissional para toda a comunidade de Recursos Humanos e de outras áreas interessadas, pelas seguintes propostas: compartilhamento de ideias e ações de excelência, possibilitando a ampliação do conhecimento sobre as modernas práticas e tendências na área de gestão de pessoas, negócios e tecnologias através de palestras, apresentação de cases, workshops com os mais renomados profissionais e especialistas, permitindo upgrade aos participantes para aplicação imediata, tanto na vida pessoal quanto no ambiente corporativo.

Então, não perca essa oportunidade de enriquecer o seu conhecimento corporativo, acadêmico e pessoal, participando do XV Congresso da ABRH e seja um agente transformador econômico e social.

Informações e Contatos: (91) 3246-7800 / 3230-0799

Site: www.abrhpa.org.br



Pará: Almoço Empresarial - ACP

Clique na imagem para ampliar.

O Conselho da Mulher Empresaria - CME  convida-os para o ALMOÇO EMPRESARIAL, com palestra sobre INSTAGRAM QUE VENDE !