Classes D e E lideram inscrições no Cadastro Positivo do SPC Brasil

O Cadastro Positivo é um banco de informações que lista o histórico de pagamentos feitos em dia pelos consumidores brasileiros.

Brasília - Nove em cada dez  consumidores atualmente inscritos no Cadastro Positivo pertencem às classes D e E, que não têm acesso a serviços financeiros e lidam com dificuldades para comprovar a renda e conseguir crédito na praça. Os  dados são de um levantamento inédito e de abrangência nacional feito pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil).

Mais da metade (54,10%) são da classe D e 32,65% da classe E. Os consumidores da classe C são 9,87% e os das classes A e B representam 1,38% do total de cadastrados. 
"Ainda que o Cadastro Positivo não tenha se popularizado no Brasil, os dados mostram que os consumidores não bancarizados e de classe social mais baixa são os mais receptivos e interessados em fazer parte da lista. O que atende aos objetivos da proposta, que é democratizar o crédito no País, tirando milhões de consumidores da invisibilidade financeira", afirma o presidente do SPC Brasil, Roque Pellizzaro Junior.

Em vigor desde agosto de 2013 após uma resolução do Banco Central, o Cadastro Positivo é um banco de dados que funciona de maneira inversa ao chamado 'Cadastro Negativo': em vez de catalogar o CPF de consumidores inadimplentes. Ou seja, daqueles que atrasaram suas contas, o cadastro  lista o histórico de pagamentos feitos em dia pelos consumidores. A ideia é que o empresário que concede crédito possa conhecer melhor os hábitos de consumo do cliente para poder oferecer vantagens financeiras, como juros menores e melhores condições de pagamento.

Conforme o levantamento, sete (73,87%) em cada dez brasileiros que hoje constam no cadastro estão com todas as suas contas em dia.  Isso significa que quase um quarto (24,14%) dos consumidores está com restrições no CPF.

Segundo o SPC, as empresas que mais realizaram as negativações de CPF foram as de telefonia, internet e TV por assinatura (22,80%), comércio varejista especializado na venda de artigos e vestuários (11,35%), companhias distribuidoras de energia elétrica (10,08%), comércio varejista de calçados (6,91%) e lojas do ramo de eletrodomésticos (5,93%).