Pará: Secretaria inscreve para cursos profissionais

A Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Técnica e 

Tecnológica (SECTET) está com inscrições abertas para cursos de Educação Profissional e Tecnológica, na modalidade Qualificação Profissional, de caráter teórico-prático, dirigidos para apoiar atividades da indústria em geral.

Os cursos vão ser realizados em quatro municípios, pertencentes a três Regiões de Integração do Estado do Pará: Rioa Capim/Ulianópolis, Tocantins/Barcarena; Rio Capim/ Paragominas; Xingu/Altamira.

As inscrições são gratuitas. O Edital estará disponível no site da Sectec. O período das inscrições será até 7 de outubro de 2016. As pré-inscrições serão realizadas no próprio site da Sectec, ou por meio do envio da ficha de pré-inscrição, disponível no anexo II, para o correio eletrônico para profissional2016@gmail.com

Os cursos têm carga horária total, somada, de 320 h/aula, tipo presencial, de caráter teórico-prático, dirigidos a promover o atendimento de qualificação profissional por setor identificado nos municípios demandantes. As aulas terão início no mês de outubro de 2016.

Os participantes devem ter idade mínima de 18 anos completos no momento da inscrição. Os participantes devem atender os níveis de escolaridade exigidos no anexo I deste Edital, para estarem aptos a serem matriculados nos cursos.

De acordo com o público-alvo definido no Programa de Educação Profissional e Tecnológica do Estado do Pará, serão adotados como critérios de seleção, em caso de haver superação do número de inscritos sobre o número de vagas, os seguintes:

Ser trabalhador, com ou sem vínculo empregatício, incluídos os trabalhadores domésticos, agricultores familiares, silvicultores, aquicultores, extrativistas, catadores de materiais reciclados e reutilizáveis, pescadores, fruticultores, povos indígenas e comunidades quilombolas, autônomos, de acordo com classificação do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE, independentemente de exercerem ou não ocupação remunerada, ou de estarem ou não no exercício de suas ocupações;

Ser beneficiário de programas de transferência de renda;

Ser estudante da rede pública, incluindo os da educação de jovens e adultos, bem como aqueles que se encontre em cumprimento de medidas socioeducativas, nos termos das normas que regulam a matéria;

Ter cursado o ensino médio completo na rede pública ou em instituições privadas na condição de bolsista, integral ou parcial.


Reprodução: Diário do Pará